Terça-feira, 18 de Janeiro de 2011
Mais Curiosidades Literárias!

Ora bons dias mais uma vez, caros leitores portugueses!

 

Ora bem, hoje é terça-feira e, como está agendado, é dia de curiosidades! Decidimos, por ventura e resultado de várias pesquisas a blogs antigos (nomeadamente de 2007/2008, por uma turma de 11º, com os devidos crédtos e direitos de autor), publicar curiosidades aleatórias sobre a percepção da mente humana e sobre a gramática portuguesa.

 

A nível de curiosidades linguísticas, apresentamo-vos o "Pios".

 

"Pios" é:
De aorcdo com uma pqsieusa de uma uinrvesriddae ignlsea, nao ipomtra a odrem plea qaul as lrteas de uma plravaa etãso, a úncia csioa iprotmatne é que a piremria e utmlia lrteas etejasm no lgaur crteo. O rseto pdoe ser uma ttaol csãofnuo que nsó pdomeos anida ler sem gnderas pobrlmeas. Itso é poqrue nós nao lmeos cdaa lrtea isladoa, mas a plravaa cmoo um tdoo.
Cosiruo não?

 

Viram? Cá vai outra, mais a nível cromático:

 

Diz então, em voz alta, a cor e não a palavra:

AMARELO AZUL LARANJA

PRETO ROXO VERDE

CINZENTO AMARELO ROXO

LARANJA VERDE PRETO

AZUL ROXO CINZENTO

VERDE AZUL LARANJA

 

Aqui, existe um conflito entre os hemisférios esquerdo e direito do nosso cérebro, o que nos dificulta a interpretação do texto. Enquanto que o hemisfério direito tenta decifrar a cor, o esquerdo detecta de imediato a palavra ali escrita.

 

E agora, falemos sobre a Gramática Portuguesa. Como apareceram os acentos? Quem inventou esses "diabretes"?!

 

"Os acentos gramaticais foram criados por Aristófanes de Bizâncio, o primeiro bibliotecário da Biblioteca de Alexandria, alguns séculos antes de Cristo. Foi na língua grega que ele introduziu tanto os acentos quanto sinais de pontuação, que posteriormente seriam assimilados pelo latim. Principalmente entre os religiosos, estes artifícios tiveram grande aceitação e foram amplamente empregados, pois permitiram que se estabelecesse entonações específicas nos cantos bíblicos."

 

E, para concluir esta sopinha de Curiosidades, cá vai uma questão famosa entre os literários e os amantes da cultura e da linguagem: Se os portugueses têm uma só palavra para definir "saudade", como é que os outros países o definem?

 

"Em muitas línguas, além de o termo "saudade" não existir, não há expressões com o mesmo sentido. Existem, sim, termos semelhantes. Os húngaros, por exemplo, têm uma palavra - hongavy - que exprime saudade da pátria ou de casa. Entre os finlandeses, o termo ikävää é utilizado para expressar tristeza por estar longe de um lugar. Já entre os alemães e ingleses, as pessoas quando sentem falta de outra podem dizer, respectivamente, Ich bin sehnsüchtig ou simplesmente I miss you (que equivale a sinto a tua falta). Em espanhol, finalmente, o mesmo sentido é atribuído à frase te hecho de menos."

 

E bem, por hoje é tudo! Boas leituras!

 

Fontes:  xy

 

Ana Raquel e Daniela



publicado por Leituras e Letras às 10:30
link do post | comentar | favorito

Bem vindos!
Somos 5 raparigas do 12ºE do curso de Humanidades. Pretendemos com este blog divulgar o nosso projecto bem como mostrar-vos o desenvolvimento deste. Esperamos atingir o nosso objectivo: divulgar a leitura.
Desejamo-vos boas leituras!
Translator
Dutch Spain English French
Contacto
leituraseletras.12e@sapo.pt
Chat
Regras: ter cuidado com a linguagem utilizada; respeitar os outros; NÃO fazer PUBlicidade.
Se queres sugerir ou criticar algo fá-lo aqui.
pesquisar
 
arquivos
Visitas
visitas
free counters

Usuários online usuários online